O artigo trata da construção de um caminho rodoviário e as inúmeras tensões que surgiram entre proprietários de terras, grileiros e trabalhadores rurais em decorrência dessa estrada. Localizada ao fundo da Baía de Guanabara, na Baixada Fluminense, a Estrada Santo Aleixo – Piabetá cortava antigas e importantes fazendas do século XIX, que na ocasião se encontravam em grande parte abandonadas e ocupadas por lavradores (posseiros, meeiros, parceleiros e sitiantes). A obra também margeava as terras da Companhia América Fabril, uma das principais empresas têxteis do país, que mantinha fábricas de tecidos na região. Este estudo analisa as mobilizações de trabalhadores rurais ao longo dessa estrada em sua luta pelo acesso à terra, enfrentando uma intensa valorização imobiliária nas redondezas, que foi gerada desde o anúncio da obra.

“Luta pela Terra ao Longo do Caminho: a Construção da Estrada Santo Aleixo – Piabetá e as Mobilizações dos Trabalhadores Rurais no Município de Magé”, na revista Tempos Históricos (v.22. n.2. 2018). Acessar: http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/20703?fbclid=IwAR1YFV1Jbfg4INfMCVwtMt1b17oFohUZ-YyAsuxX1XZzQ6LgaxfeyQJoyDU

Ilustração: Capa do jornal “O Fluminense”, em 09-01-1963 p.1 (Acervo Biblioteca Nacional).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.