Sinopse: Se a presença de mulheres trabalhadoras na história “oficial” é escassa, a de domésticas ainda menos. Profissão pouco reconhecida e valorizada, a luta das trabalhadoras domésticas organizadas por suas demandas e direitos trabalhistas foi constante. Esse é um pedaço bem pequeno da história de uma delas: Nair Jane de Castro Lima, ex-empregada doméstica e sindicalista ainda em atividade, aos 67 anos. Mulher negra imigrante, babá desde os noves anos e cuja história de vida reflete a de milhares de outras domésticas, Nair é referência de luta política dentro e fora de sua categoria. A despeito da militância das trabalhadoras domésticas sindicalizadas, a legislação sobre o trabalho doméstico no Brasil foi pensada e formulada por atores masculinos, brancos e em posições privilegiadas, sem consultar ou dialogar com a categoria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.