Autora:Denize Carolina Auricchio Alvarenga da Silva
(Etec prof Carmine biagio tundisi, centro paula souza)

Apresentação da atividade

Segmento: Ensino de História e Educação Profissional

Unidade temática: Mundo do trabalho

Objeto de conhecimento: Historicidade do trabalho e sua importância na construção da identidade e cultura

Objetivos gerais:

– Entender a complexidade da categoria trabalho para o ser humano.

– Compreender elementos cognitivos, afetivos, físicos, sociais e culturais que constituem a identidade própria e a dos outros.

Duração da atividade: 16 aulas de 50 min

Aulas Planejamento
01, 02 e 03 Explicar atividade aos alunos, etapas e recursos a serem usados.
Gravar vídeo sobre ideia inicial de trabalho.
Leitura e discussão em sala de trechos do livro “Memória e sociedade, lembranças de velhos” de Ecléa Bosi.
04 e 05 Entrevistas sobre histórias pessoais relacionadas ao trabalho.
Compartilhamento de imagens selecionadas pelos alunos sobre o tema e trechos das entrevistas.
Discussão sobre história do trabalho.
06, 07 e 08Registro de atividades.
Pesquisa de temas.
Exposição do trabalho.

Conhecimento prévio:

– Noções básicas de períodos históricos.

Atividade

Atividade e recursos:


Recursos para o professor: Lousa, canetão/giz, data show, impressões.

Recursos para alunos: Computador, celular, revistas, fotografias, impressões, data show, caderno universitário, material para exposição de resultado final – podem ser utilizados painéis de cortiça da escola ou papel cartão, linha de nylon, quadro de ímãs, canetas coloridas, folhas e mesa.

Etapa 1: Explicar atividades aos alunos, etapas e recursos a serem usados. Gravar vídeo sobre ideia inicial de trabalho: Cada grupo de até cinco alunos deve gravar um vídeo, de aproximadamente 2 minutos, falando o que entendem por “trabalho”. A partir desses dados, iniciar uma discussão da origem dessas ideias ou percepções de trabalho e recolher as imagens trazidas pelos alunos. Leitura e discussão em sala de trechos do livro “Memória e sociedade, lembranças de velhos” de Ecléa Bosi. Neste livro, a autora entrevista pessoas com mais de setenta anos, em que muitos desses foram dedicados ao trabalho. São lembranças de residentes da cidade de São Paulo, que mostram quão determinante é o trabalho na vida das pessoas e a cultura a qual está inserido, e, segundo a autora, uma forma de vencer a barreira do tempo no conhecimento humano ouvindo o outro e perpetuando a sua experiência.

Etapa 2: Entrevistas sobre histórias pessoais relacionadas ao trabalho: a partir de um roteiro de entrevista, aplicar a um membro da família ou conhecido com questões relacionadas a lembranças e percepções do trabalho. Compartilhamento de imagens selecionadas pelos alunos sobre o tema e trechos das entrevistas.

Etapa 3: Produção coletiva da pesquisa até o momento – os alunos irão montar um caderno da sala, com trechos selecionados de entrevistas, imagens, impressões, entendimento sobre a história do trabalho e a memória associada ao trabalho. Os alunos deverão trabalhar coletivamente e redigir um texto, baseados nas aulas anteriores, sobre a relação do homem com o trabalho como abertura desse caderno coletivo. Após essa introdução, devem fazer registros mesclados de trechos das entrevistas e imagens com pequenas legendas. Ao final, devem deixar a pergunta: “E para você, o que é o trabalho?”

Pesquisa em grupo com os temas para breve seminário:

I. Construção da ideia de trabalho;
II. Trabalho escravo e análogo;
III. Revolução Industrial;
IV. Trabalho infantil;
V. Trabalho como Patrimônio;
VI. Precarização do trabalho e a lógica do empreendedorismo;

Além dos itens básicos a serem pesquisados (contextos, sujeitos, processos…), ao final os educandos deverão fazer uma relação do assunto com a sua habilitação técnica.

Montagem de painéis que reflitam o conjunto de atividades realizadas:

Material a ser exposto: Caderno Coletivo produzido pelos alunos com uma caneta anexa para o visitante responder a pergunta (E para você, o que é o trabalho?) após folhear o trabalho; Caderno de presença de visitação; Painel com a apresentação da atividade (tema e introdução) e Painel de fotos com legendas e trechos das entrevistas não identificadas e da pesquisa, relacionando-os (por exemplo, relacionar dados do trabalho infantil com trechos das entrevistas, a precarização do trabalho com as condições relatadas pelos alunos que têm trabalhos informais).

Percurso para o observador: A exposição pode contar em alguns dias ou horários pontuais (como em uma feira de trabalhos) com alunos da sala para apresentar o trabalho, em um sistema de rodízio de estudantes. Assim, podem convidar outros alunos, funcionários ou membros da comunidade – a depender da disponibilidade da escola – para visitar o trabalho final. A atividade deve ter a presença de um aluno no início do percurso apresentando o projeto e orientando o visitante a escrever sua primeira ideia de trabalho no caderno coletivo e depois de ver a exposição participar de uma breve atividade educativa.

Atividade educativa: Ao final, o visitante é convidado pelos alunos para montar em um quadro de fotos a sua manifestação sobre trabalho: pode ter disponível um quadro com ímãs, caixas com frases soltas, gráficos impressos, além de canetas coloridas e fragmentos de papéis que o visitante pode se expressar, dispostos em uma mesa para ser montado/desmontado quantas vezes for necessário. Para o fechamento da atividade, ao final da ação expositiva, professor e alunos poderão conversar sobre as respostas do público registradas no caderno e o comportamento dos visitantes durante a montagem de sua “obra” (como as montagens na lousa feitas com o material disponível, perguntas, reações…) e as conclusões dos próprios educandos ao final do projeto

Bibliografia e material de apoio:

  • ALMEIDA, Wania Amanso de. A contribuição de Anísio Teixeira para se pensar o ensino profissional nos dias atuais. 2011 Disponível em:  http://www.revistas.udesc.br/index.php/EnsinoMedio/article/download/2327/1758. Acesso em 12 de março de 2019.
  • ANTUNES, Ricardo. ¿Adiós al Trabajo? Ensayo sobre las Metamorfosis y el Rol Central del Mundo del Trabajo. 2 edición. Venezuela: Piedra Azul, 1997.
  • ANTUNES, Ricardo. O Caracol e sua Concha; ensaios sobre a nova morfologia do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2005.
  • ANTUNES, Ricardo. O Privilégio da Servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.
  • BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: Lembranças de Velhos. São Paulo: T. A. Queiroz, 1979.
  • FONSECA, Selva G. Didática e a Pratica do Ensino de História. Campinas: Papirus, 2003.
  • NOSELLA, Paolo. Ensino Médio à Luz do Pensamento de Gramsci. Campinas: Alínea, 2016.
  • THOMPSON, Edward. Os Românticos. Tradução de Sérgio Moraes Rêgo Reis.  Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002 .
  • Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Livro de Registro dos Saberes – Bens Culturais Imateriais. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/496 acesso em 25 de junho de 2019.
  • ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO.  Principais Estatísticas Brasil. Disponível em: https://www.ilo.org/gateway/faces/home/ctryHome?locale=EN&countryCode=BRA&_adf.ctrl-state=1c4zvj2szb_4# Acesso em 23 de abril de 2019. ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Trabalho escravo no Brasil do século XXI. 2006. Disponível em https://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/—americas/—ro-lima/—ilo-brasilia/documents/publication/wcms_227551.pdf Acesso em 24 de junho de 2019.

Credito da imagem de capa: A Revolução Industrial. Fonte: https://www.proenem.com.br/enem/historia/a-revolucao-industrial/

Chão de Escola

Nos últimos anos, novos estudos acadêmicos têm ampliado significativamente o escopo e interesses da História Social do Trabalho. De um lado, temas clássicos desse campo de estudos como sindicatos, greves e a relação dos trabalhadores com a política e o Estado ganharam novos olhares e perspectivas. De outro, os novos estudos alargaram as temáticas, a cronologia e a geografia da história do trabalho, incorporando questões de gênero, raça, trabalho não remunerado, trabalhadores e trabalhadoras de diferentes categorias e até mesmo desempregados no centro da análise e discussão sobre a trajetória dos mundos do trabalho no Brasil.
Esses avanços de pesquisa, no entanto, raramente têm sido incorporados aos livros didáticos e à rotina das professoras e professores em sala de aula. A proposta da seção Chão de Escola é justamente aproximar as pesquisas acadêmicas do campo da história social do trabalho com as práticas e discussões do ensino de História. A cada nova edição, publicaremos uma proposta de atividade didática tendo como eixo norteador algum tema relacionado às novas pesquisas da História Social do Trabalho para ser desenvolvida com estudantes da educação básica. Junto a cada atividade, indicaremos textos, vídeos, imagens e links que aprofundem o tema e auxiliem ao docente a programar a sua aula. Além disso, a seção trará divulgação de artigos, entrevistas, teses e outros materiais que dialoguem com o ensino de história e mundos do trabalho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.