Artigo “Centenário da Lei de Acidentes de Trabalho: análise sobre acidentes em fábricas de tecidos do Rio de Janeiro na Primeira República” – Isabelle Pires

Em maio deste ano de 2019, o atual Presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciou a intenção de reduzir em 90% as Normas Regulamentadoras (NR) de segurança e saúde no trabalho. Alegando que tal proposta tem como intuito “desburocratizar” o setor, o governo federal pretende rever normas do âmbito do Direito do Trabalho, cuja proteção vinha sendo assegurada na CLT, na Constituição Federal e em acordos firmados em tratados internacionais, como as convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Historicamente, os embates entre a exploração capitalista do trabalho e o movimento operário explicitaram a relevância da questão social, o que acarretou a proposição de debates que levaram ao reconhecimento dos direitos sociais voltados para reduzir a exploração desenfreada da força de trabalho que, caso não minimizada, pode resultar em doenças, acidentes de trabalho e até mesmo morte. Assim, esse artigo procura chamar a atenção para o centenário da lei de acidentes de trabalho promulgada em 1919, por representar um marco inicial de conquistas no campo da legislação social e um ponto de partida para medidas que visavam à proteção e à saúde no trabalho. Ainda, examina o contexto de promulgação da referida lei e sua aplicação por parte dos industriais têxteis, membros da Sociedade Cooperativa de Seguros Operários em Fábricas de Tecidos.

Torna-se necessário ressaltar esta história centenária de lutas por direitos por parte dos/as trabalhadores/as, em tempos de perseguição aos direitos trabalhistas pelas autoridades políticas do século XXI, de modo que não se apague o papel histórico do operariado de ontem e de hoje.

O artigo Centenário da Lei de Acidentes de Trabalho: análise sobre acidentes em fábricas de tecidos do Rio de Janeiro na Primeira República foi publicado na Revista Mundos do Trabalho, volume 11, de 2019. A autora, Isabelle Pires, é doutoranda em História Social pela UFRJ e membro do LEHMT.

Imagem de capa: Revista da Semana. 19 jun. 1910. p. 5.

LEHMT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Lugares de Memória dos Trabalhadores #16: Mercado Público de Desterro (Florianópolis - SC) – Fabiane Popinigis e Henrique Espada Lima

qui nov 28 , 2019
Fabiane Popinigis Professora do Departamento de História da UFRRJ Henrique Espada LimaProfessor do Departamento de História da UFSC Para ao Cisne disputarPopulares afeiçõesChama às reuniõesNegras aves d’ultramar No poema “A assembleia das aves”, de 1847, Marcelino Antônio Dutra, escritor e político associado aos liberais em Santa Catarina, nos deixa entrever […]
%d blogueiros gostam disto: