Artigos sobre Favelas e História Social do Trabalho – Samuel Oliveira

Samuel Oliveira, professor do CEFET-RJ e pesquisador do LEHMT-UFRJ, publicou recentemente três artigos que se situam nos campos dos estudos da história do trabalho e dos estudos sobre favelas. Abaixo, as apresentações e links para os artigos.


Informalidade urbana, classe e raça no Rio de Janeiro

O artigo “Informalidade urbana, classe e raça no Rio de Janeiro: uma história dos censos” (2021) foi publicado na Revista de História por Samuel S.R. Oliveira, pesquisador e professor do LEHMT-UFRJ e do CEFET-RJ.

O texto analisa a forma como as noções de classe e raça se articulam na definição do debate sobre o crescimento das favelas a partir do desenvolvimento urbano-industrial do Rio de Janeiro e da discussão dos censos de favelas.

Enfoca especificamente a forma como na conjuntura do imediato pós-guerra se estabeleceu um debate as noções de “cor”/raça nas estatísticas para abordar a informalidade urbana e marginalidade social na cidade, tendo destaque as análises do sociólogo Luís Consta Pinto, do geografo e engenheiro Alberto Passos Guimarães e do Major e engenheiro Durval Magalhães Coelho.

Link: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/170643


Controle do espaço das favelas, fotografias e história social de Belo Horizonte

O artigo “A Comissão de Desfavelamento e as representações da pobreza urbana em Belo Horizonte na década de 1950” (2021) foi publicado na Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais por Samuel S.R. Oliveira, professor e pesquisador do LEHMT-UFRJ e do CEFET-RJ.

O texto analisa a história das favelas e da formação do espaço urbano de Belo Horizonte a partir das imagens fotográficas produzidas pela Comissão de Desfavelamento em 1955. Na conjuntura de crescimento urbano-industrial, expansão do tecido urbano e intensa migração para a cidade, a Comissão de Desfavelamento foi responsável por várias legislações e políticas públicas visando o controle da informalidade urbana.

As fotografias mostram como engenheiros, advogados e assistências social entrelaçam identidades de classe e raça na formação da visualidade das favelas na capital de Minas Gerais.

Link: https://rbeur.anpur.org.br/rbeur/article/view/6635/5391


As favelas cariocas nos anos 1950

O artigo “As retóricas da ‘marginalidade social’: espaço urbano, práticas estatais e políticas nas favelas (1947-1961)” foi publicado por Samuel S.R. Oliveira, professor e pesquisador do LEHMT-UFRJ e do CEFET-RJ, no livro Pensar as favelas cariocas: história e questões urbanas.

Organizado por Rafael Soares Gonçalves, Mário Brum e Mauro Amoroso, o livro traçar um panorama com a contribuição de vários pesquisadores, para a discussão da história da informalidade urbana no Rio de Janeiro ao longo do século XX.

O artigo analisou as imagens heterotópicas da marginalidade social na identificação das relações de classe e raça no espaço urbano e nas políticas públicas anunciadas como “batalhas” para desfavelar a cidade do Rio de Janeiro.

Link: https://www.pallaseditora.com.br/produto/Pensando_as_favelas_cariocas/333/


Crédito da imagem de capa: DISTRITO FEDERAL. Censo de Favelas: aspectos gerais. Rio de Janeiro: Prefeitura do Distrito Federal, 1949.

LEHMT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

LMT#95: Casa do Trabalhador do Amazonas, Manaus (AM)- César Augusto Queirós

qui set 23 , 2021
César Augusto QueirósProfessor do Departamento de História da UFAM Quem hoje, ao transitar pelo agitado centro de Manaus, passa pela rua Marcílio Dias, talvez não perceba, em meio à intensa movimentação dos vendedores ambulantes e dos transeuntes, um pequeno prédio que abriga parte importante da história dos trabalhadores e trabalhadoras […]
%d blogueiros gostam disto: