Nesta sétima edição da série “Vale a Dica”, João Christovão, doutor em história pelo CPDOC/FGV e pesquisador do LEHMT/UFRJ, comenta a exposição “Entre montes brancos e espelhos d’água”. Sob a curadoria de Julia Baker, a exposição ocorreu no Sesc Niterói (RJ) entres os dias 22 de julho e 21 de outubro de 2023, e reuniu diversas fotografias da artista Bea Martins e do fotógrafo Wolney Teixeira.
A exposição nos permite reflexões sobre o trabalho e a vida na Região dos Lagos (RJ), mostrando aspectos do processo de produção e os diferentes trabalhadores da cadeia produtiva do sal das salinas fluminenses, como salineiros, remadores lacustres, estivadores e arrumadores; e sobre a desindustrialização iniciada na década de 1990 e que atingiu centenas de trabalhadores e moradores locais.

Catálogo disponível em nosso site.

Projeto e execução: Alexandra Veras, Isabelle Pires, Larissa Farias, Victória Cunha e Yasmin Getirana

Nesta sexta edição da série “Vale a Dica”, Victória Cunha, mestranda em história pela UFRJ e pesquisadora do LEHMT/UFRJ, sugere uma visita ao Museu de Artes de Ofícios, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Localizado nos prédios que comportavam as antigas estações de trem da capital mineira, o MAO é a morada do único museu que se dedica integralmente ao tema do trabalho, das artes e dos ofícios no Brasil. Seu acervo é resultado do trabalho do engenheiro Flávio Gutierrez e de sua filha Angela Gutierrez, que colecionaram mais de 2.500 peças relacionadas aos ofícios do período pré-industrial no Brasil. De acordo com a instituição, “O museu é um convite para que o trabalhador se encontre consigo mesmo, com sua história e com seu tempo”. O acervo material presente na exposição nos permite refletir sobre as configurações dos mundos do trabalho no Brasil e nas suas transformações ao longo do tempo.

Projeto e execução: Alexandra Veras, Isabelle Pires, Larissa Farias, Victória Cunha e Yasmin Getirana

Este workshop de um dia explorará como, na historiografia alemã, os debates sobre desindustrialização têm impactado a história social e suas variadas temáticas, como. identidades regionais e culturais, patrimônio industrial, história do trabalho, história ambiental, gênero e os efeitos da desindustrialização no tecido social e na vida política.Essa atividade integra […]

3

Há 40 anos era fundada a maior e mais duradoura confederação sindical da história do Brasil, a Central Única dos Trabalhadores (CUT). Para refletir sobre aquela importante conjuntura política e sindical, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que participaram da fundação da CUT.
Em nosso último episódio, Zé Ferreira, metalúrgico do ABC Paulista, nos conta detalhes sobre as grandes greves operárias que abalaram o Brasil no final dos anos 1970, sobre as articulações sindicais e a importância da Conclat de 1981 em Praia Grande. Já como vereador em São Bernardo, eleito em 1982, Zé Ferreira teve papel destacado nas negociações para a liberação do Pavilhão Vera Cruz, onde foi realizado o Congresso de Fundação da CUT em agosto de 1983.

Projeto e execução: Deivison Amaral, Inghrid Masullo, Larissa Farias, Paulo Fontes e Yasmin Getirana | Assessoria: João Marcelo Pereira dos Santos | Roteiro: Deivison Amaral | Edição: Deivison Amaral | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista: Deivison Amaral e Inghrid Masullo

Há 40 anos era fundada a maior e mais duradoura confederação sindical da história do Brasil, a Central Única dos Trabalhadores (CUT). Para refletir sobre aquela importante conjuntura política e sindical, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que participaram da fundação da CUT.

O quarto episódio é dedicado a Nilza Port, antiga dirigente sindical dos trabalhadores da indústria química de São Paulo. Nilza fala de sua trajetória desde a colônia alemã no interior no Rio Grande do Sul onde nasceu, passando pela migração para São Paulo e o trabalho em multinacionais alemãs até seu envolvimento na oposição sindical e sua atuação como sindicalista. Conta ainda sobre o papel das mulheres no “novo sindicalismo” e relembra o espírito de justiça, solidariedade e alegria que animava os trabalhadores e trabalhadoras que criaram a CUT.

Há 40 anos nascia a maior e mais duradoura central sindical da história do Brasil. A fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 28 de agosto de 1983, na cidade de São Bernardo era fruto direto de uma efervescente conjuntura iniciada com uma onda de greves e mobilizações sociais que tomou conta do país a partir de 1978. A luta dos trabalhadores impactou os rumos da redemocratização e colocou o movimento sindical no centro da arena política.
Para refletir sobre aquela conjuntura, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que estavam em São Bernardo naquele 28 de agosto de 1983. No segundo episódio, Ranulfo Peloso, liderança do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santarém no Pará, fala da sua trajetória como ativista católico durante a ditadura, da ação das oposições sindicais naquele período e do papel fundamental dos trabalhadores rurais no processo de fundação da CUT.

Projeto e execução: Deivison Amaral, Inghrid Masullo, Larissa Farias, Paulo Fontes e Yasmin Getirana | Assessoria: João Marcelo Pereira dos Santos | Roteiro: Deivison Amaral e Inghrid Masullo | Edição: Deivison Amaral | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista: Deivison Amaral e Inghrid Masullo

Há 40 anos nascia a maior e mais duradoura central sindical da história do Brasil. A fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 28 de agosto de 1983, na cidade de São Bernardo era fruto direto de uma efervescente conjuntura iniciada com uma onda de greves e mobilizações sociais que tomou conta do país a partir de 1978. A luta dos trabalhadores impactou os rumos da redemocratização e colocou o movimento sindical no centro da arena política.
Para refletir sobre aquela conjuntura, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que estavam em São Bernardo naquele 28 de agosto de 1983. No segundo episódio, Zica Oliveira, trabalhadora doméstica do Rio de Janeiro, fala das lutas das domésticas para terem seus direitos reconhecidos como trabalhadoras e da participação da categoria no processo de fundação da CUT.

Projeto e execução: Deivison Amaral, Inghrid Masullo, Larissa Farias, Paulo Fontes e Yasmin Getirana | Assessoria: João Marcelo Pereira dos Santos | Roteiro: Yasmin Getirana | Edição: Deivison Amaral | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista: Deivison Amaral e Yasmin Getirana

3

Há 40 anos nascia a maior e mais duradoura central sindical da história do Brasil. A fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 28 de agosto de 1983, na cidade de São Bernardo era fruto direto de uma efervescente conjuntura iniciada com uma onda de greves e mobilizações sociais que tomou conta do país a partir de 1978. A luta dos trabalhadores impactou os rumos da redemocratização e colocou o movimento sindical no centro da arena política.

Para refletir sobre aquela conjuntura tão especial, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que estavam em São Bernardo naquele 28 de agosto de 1983. No nosso primeiro episódio, Almerico Lima, petroquímico da Bahia, relata sobre sua história de militância sindical durante a redemocratização do país e conta suas experiências no Congresso de Fundação da CUT.

Projeto e execução: Deivison Amaral, Inghrid Mazullo, Larissa Farias, Paulo Fontes e Yasmin Getirana

Assessoria: João Marcelo | Roteiro: Deivison Amaral | Edição: Deivison Amaral | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista: Deivison Amaral e Larissa Farias