Está interessado/a em saber mais sobre o que é história social do trabalho? Conhecer as pesquisas mais recentes dessa área? Saber mais sobre o Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ (LEHMT/UFRJ) e como se integrar em suas atividades? Quer conhecer a programação que pensamos para […]

Professora Carolina Dantas (Escola Politécnica/FIOCRUZ e ProfHistória UFF) Apresentação da atividade Segmento: Ensino Médio Unidade temática: Trabalho, racismo e política Objetos de conhecimento:– As noções de cidadania política – Formas de registro da História e da produção do conhecimento Objetivos gerais:– Identificar as formas de exclusão e estratégias de participação […]

A CSN apoiou a Ditadura (1964-1985). A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) foi criada em 1941 como parte fundamental do projeto nacional-desenvolvimentista de Getúlio Vargas. A tradição de controle militar da fábrica e da cidade de Volta Redonda teve continuidade e encontrou ápice na Ditadura. Além da precarização das condições de trabalho, pressionadas tanto pela política econômica da Ditadura quanto pelo desrespeito às leis trabalhistas no ambiente fabril, o caso da CSN também desvela uma outra perversidade da Ditadura: aponta como o racismo era institucionalizado no interior da empresa, uma forma específica de violação dos direitos dos trabalhadores.

Esse caso é tema do último episódio da série Trabalhadores atingidos: a colaboração empresarial com a ditadura, do Vale Mais, podcast do LEHMT/UFRJ, realizada em parceria com o Centro de Memória do Sul Fluminense da UFF e com a rede de pesquisadores envolvidos no projeto “Responsabilidade de empresas por violações de direitos durante a Ditadura” (projeto do CAAF/ UNIFESP com o MPF). São 4 episódios que exploram as colaborações da Petrobrás, CSN, Aracruz e Josapar, com a Ditadura.

O episódio está disponível no link abaixo e nas principais plataformas de podcast. Caso queira conhecer mais sobre as empresas que foram cúmplices da Ditadura, acesse o Informe Público da pesquisa, que além dos quatro casos acima, apresenta dados sobre a colaboração de outras empresas, a saber: Cobrasma, Docas, Fiat, Folha de São Paulo, Itaipu e Paranapanema.

Informe Público: https://drive.google.com/file/d/1aPxxQ82hBhCwc4B8_3PruYNFgW-4kQVb/view?usp=sharing

Ficha técnica:

Projeto e execução: Alejandra Estevez, Bruno Cecílio, Deivison Amaral, Larissa Farias, Thompson Climaco | Roteiro: Deivison Amaral | Revisão de Roteiro: Alejandra Esteves | Edição: Thompson Clímaco | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista com Leonardo Angelo: Alejandra Esteves, Deivison Amaral e Larissa Farias | Entrevista com trabalhadores atingidos: Leonardo Angelo

Equipe responsável pela pesquisa sobre a CSN:

Alejandra Estevez | Ana Paula Poll | Leonardo  Angelo | Rafaella Bettamio |  Raphael J. Lima | Raphaela Alves Lopes | Richard Martins |  Bruno Cecílio | Eliege Domingues | Gisele Costa | Helbson de Ávila |  Luís Felipe Silva |  Stella Mendes Reis  |  Thompson Clímaco Alves |  Leonardo Cecílio |  Iohana Viana Araújo |  Ismael Rodrigues dos Santos |  Maria Luiza Rezende Bonamim |  Mariana Alves |  Miguel Tarnapolsky |  Natália Oliveira | Nina Rosa Soares |  Sabrina Pontes

A Josapar apoiou a Ditadura (1964-1985). A Josapar é uma empresa de produtos alimentícios com sede no Rio Grande do Sul. Durante a Ditadura, a Josapar começou a investir em terras em outras regiões do país, incluindo o estado do Pará, onde violentos conflitos com trabalhadores rurais ocorreram. Juntas, empresa e Ditadura, trabalharam para acentuar a concentração fundiária no país e aumentar a exploração  dos trabalhadores e trabalhadoras do campo.

Esse caso é tema do terceiro episódio da série Trabalhadores atingidos: a colaboração empresarial com a ditadura, do Vale Mais, podcast do LEHMT/UFRJ, realizada em parceria com o Centro de Memória do Sul Fluminense da UFF e com a rede de pesquisadores envolvidos no projeto “Responsabilidade de empresas por violações de direitos durante a Ditadura” (projeto do CAAF/ UNIFESP com o MPF). São 4 episódios que exploram as colaborações da Petrobrás, CSN, Aracruz e Josapar, com a Ditadura.

O episódio está disponível no link abaixo e nas principais plataformas de podcast. Caso queira conhecer mais sobre as empresas que foram cúmplices da Ditadura, acesse o Informe Público da pesquisa, que além dos quatro casos acima, apresenta dados sobre a colaboração de outras empresas, a saber: Cobrasma, Docas, Fiat, Folha de São Paulo, Itaipu e Paranapanema. 

Informe público: https://drive.google.com/file/d/1aPxxQ82hBhCwc4B8_3PruYNFgW-4kQVb/view?usp=sharing

Ficha técnica:

Projeto e execução: Alejandra Estevez, Bruno Cecílio, Deivison Amaral, Larissa Farias, Thompson Climaco | Roteiro: Deivison Amaral | Revisão de Roteiro: Alejandra Esteves | Edição: Deivison Amaral | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista com Alessandra Gasparotto: Alejandra Esteves e Deivison Amaral | Entrevista com trabalhadores atingidos: Alessandra Gasparotto

Equipe responsável pela pesquisa sobre a Josapar:

Alessandra Gasparotto | Airton dos Reis Pereira | Alex Monteiro Rodrigues |  Barbara de La Rosa Elia | Eduardo Fernandes de Araújo | Elisandra de Araújo Galvão | Fabricio Teló | Gabriel Pereira da Silva Teixeira | Gilney Amorim Viana | Graciela Bonassa Garcia |Halyme Franco Antunes | José Carlos Moreira Filho | José Ribamar Lira Oliveira | Leonilde Servolo Medeiros |  Letícia Lopes Felix | Paulo Roberto Ferreira | Regina Coelly Fernandes Saraiva | Renato Della Vechia | Ricardo José Braga Amaral de Brito | Sérgio Sauer | Venize Nazaré Ramos Rodrigues

O projeto “Desindustrialização e história social: a construção de um campo de pesquisa (Brasil e Alemanha)”, do Programa PROBRAL da CAPES/DAAD abre processo seletivo para a concessão de uma bolsa de pós-doutorado para estágio de pesquisa na Universidade do Ruhr- Bochum, Alemanha. Os/as candidatos/as deverão ter obtido o título de […]