Artigo “O auditório da Secretaria de Saúde e Assistência Publica de Minas Gerais: lugar de memória dos trabalhadores de Belo Horizonte (1961-1964)” – Samuel Oliveira e Marina Camisasca

O artigo foi escrito por Samuel Oliveira, pesquisador do Laboratório de Estudos do Mundo do Trabalho (LEHMT-UFRJ), e Marina Camisasca, doutoranda em História na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
A partir do diálogo com a série Lugares de Memória dos Trabalhadores (coordenada por Paulo Fontes), e de pesquisa no acervo da polícia política e em jornais da Hemeroteca do Estado de Minas Gerais, os pesquisadores analisaram o auditório da Secretaria de Saúde e Assistência (atual, Minascentro), como espaço de construção da luta dos trabalhadores, enfocando a realização do Congresso Nacional dos Lavradores e Trabalhadores Agrícolas e do Congresso de Trabalhadores Favelados de Belo Horizonte.
O artigo enfatiza a intersecção entre a luta social no campo e nas favelas na construção da agenda das reformas de base, durante governo Goulart (1961-1964), e apresenta a capital mineira como uma das centralidades políticas do ciclo de protestos dos trabalhadores nos anos 1960.

Link: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180313342021e0302/13713


Crédito da imagem de capa: ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO. Fundo DOPS-MG. Pasta 0119.

LEHMT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Livros de Classe #11: O retorno de Martin Guerre, de Natalie Davis, por Benito Schmidt

ter dez 14 , 2021
Neste vídeo da série Livros de Classe, Benito Schmidt, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), apresenta a obra O retorno de Martin Guerre, de Natalie Davis. Publicado originalmente em 1982 e traduzido para o português em 1987, o livro traz importantes reflexões acerca da imaginação histórica, […]
%d blogueiros gostam disto: