Livros de Classe #19: Campos da violência, de Silvia Lara, por Crislayne Alfagali

Neste episódio de Livros de Classe, Crislayne Alfagali, professora da PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro), apresenta a obra “Campos da violência: escravos e senhores na Capitania do Rio de Janeiro, 1750-1808”, de Silvia Lara. A obra, publicada em 1988, apresenta, a partir de uma rica análise de fontes, as relações de luta e resistências e a violência da escravidão.

Livros de Classe

Os estudantes de graduação são desafiados constantemente a elaborar uma percepção analítica sobre os diversos campos da história. Nossa série Livros de Classe procura refletir justamente sobre esse processo de formação, trazendo obras que são emblemáticas para professores/as, pesquisadores/as e atores sociais ligados à história do trabalho. Em cada episódio, um/a especialista apresenta um livro de impacto em sua trajetória, assim como a importância da obra para a história social do trabalho. Em um formato dinâmico, com vídeos de curtíssima duração, procuramos conectar estudantes a pessoas que hoje são referências nos mais diversos temas, períodos e locais nos mundos do trabalho, construindo, junto com os convidados, um mosaico de clássicos do campo.

A seção Livros de Classe é coordenada por Ana Clara Tavares, Julia Chequer e Mariana Alves.

LEHMT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Vale Mais #22: As mulheres no Partido Comunista

qua jul 6 , 2022
Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho. O episódio #22 do Vale Mais é sobre As mulheres no Partido Comunista. O Vale Mais conversa no seu episódio 22 com Paula Elise Soares, que defendeu sua tese em 2021, intitulada “A questão feminina no PCB (1925-1956): as mulheres na cultura política comunista” na Universidade Federal de Minas Gerais, sob orientação do professor Rodrigo Patto Sá Motta. Paula discute a questão feminina e a organização do trabalho político entre mulheres dentro do Partido Comunista Brasileiro (PCB) entre os anos 1925 e 1956, e mostra como as mulheres trabalhadoras, filiadas ou não, construíram suas pautas e se articularam para conquistar o espaço dentro das políticas partidárias. Além disso, as mulheres militantes assumiram papéis de liderança em comitês e periódicos, evidenciando como a sua articulação influenciou os direcionamentos do PCB. A autora conta no nosso bate papo como uma crítica durante a submissão de um artigo mudou os objetivos de pesquisa e a fez rediscutir suas fontes documentais. Paula também aborda a historiografia sobre o Partido Comunista e os estudos de gênero. Produção: Heliene Nagasava e Larissa Farias Roteiro: Heliene Nagasava e Larissa Farias  Apresentação: Larissa Farias 
%d blogueiros gostam disto: