Vozes Comunistas #22: Armando Ziller


Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

“Vozes comunistas” é uma série especial do Vale Mais, podcast do LEHMT/UFRJ. Entre março de 2022 e março de 2023 homenageamos o centenário do Partido Comunista Brasileiro (PCB) com a divulgação de trechos de entrevistas de antigos sindicalistas, lideranças operárias e camponesas ou mesmo trabalhadores/as de base que contam um pouco da história do PCB e sua importância para a história do trabalho no Brasil.

Em nosso vigésimo primeiro episódio, penúltimo da série, apresentamos trechos de uma entrevista realizada em 1985 com o líder bancário mineiro Armando Ziller. Ziller ingressou no PCB em 1932 e tornou-se uma icônica liderança sindical dos bancários, participando de grandes lutas, como a greve nacional da categoria em 1946 e de importantes conquistas, como a jornada de 6 horas. Foi eleito deputado estadual em 1947, participando da elaboração da constituição mineira de 1947. No trecho que ouviremos, Armando Ziller fala sobre sua experiência sindical durante as décadas de 30 e 40. Esta voz comunista é apresentada pelo professor do Instituto de História da UFRJ, Carlos Ziller, também neto de Armando.

Projeto e execução: Ana Clara Tavares, Felipe Ribeiro, Larissa Farias e Paulo Fontes
Apoio: Centro de Documentação e Imagem da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.
Agradecemos às instituições e pesquisadores que gentilmente colaboraram com nosso projeto

Referência da entrevista: ZILLER, Armando. Entrevistadoras: DELGADO, Lucília de Almeida Neves e ALVES, Célia Regina. Belo Horizonte, MG, Brasil. Setembro de 1985. 4 fitas K7 (60 minutos). Acervo do Núcleo de História Oral do Laboratório de História do Tempo Presente da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (NHO/LHTP/FAFICH/UFMG).

Vale a Dica #07: Entre Montes Brancos e Espelhos d’Água, de Bea Martins e Wolney Teixeira Vale Mais

Nesta sétima edição da série “Vale a Dica”, João Christovão, doutor em história pelo CPDOC/FGV e pesquisador do LEHMT/UFRJ, comenta a exposição “Entre montes brancos e espelhos d’água”. Sob a curadoria de Julia Baker, a exposição ocorreu no Sesc Niterói (RJ) entres os dias 22 de julho e 21 de outubro de 2023, e reuniu diversas fotografias da artista Bea Martins e do fotógrafo Wolney Teixeira. A exposição nos permite reflexões sobre o trabalho e a vida na Região dos Lagos (RJ), mostrando aspectos do processo de produção e os diferentes trabalhadores da cadeia produtiva do sal das salinas fluminenses, como salineiros, remadores lacustres, estivadores e arrumadores; e sobre a desindustrialização iniciada na década de 1990 e que atingiu centenas de trabalhadores e moradores locais. Catálogo disponível em nosso site. Projeto e execução: Alexandra Veras, Isabelle Pires, Larissa Farias, Victória Cunha e Yasmin Getirana
  1. Vale a Dica #07: Entre Montes Brancos e Espelhos d’Água, de Bea Martins e Wolney Teixeira
  2. Vale a Dica #06: Museu de Artes e Ofícios
  3. O Nascimento da CUT #05 | com Zé Ferreira
  4. O Nascimento da CUT #04 | com Nilza Port
  5. O Nascimento da CUT 03 | com Ranulfo Pelôso.

LEHMT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Contribuição Especial #25: A Greve dos 300 Mil: 70 anos

seg mar 27 , 2023
Murilo LealProfessor da Unifesp Em 26 de março, domingo, deveríamos celebrar uma efeméride. No mesmo dia do mês, há setenta anos, numa quarta-feira, 60 mil metalúrgicos e têxteis pararam seus teares e tornos e tomaram as ruas em São Paulo. Começava oficialmente a primeira greve geral operária do pós-guerra, conhecida […]