Blog

Neste episódio, Fernando Pureza, Professor do Departamento de História da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), apresenta o livro “Nós do quarto distrito: a classe trabalhadora porto-alegrense e a Era Vargas”, de Alexandre Fortes. Fruto de sua tese de doutorado defendida na Unicamp, “Nós do quarto distrito”, ao articular os processos […]

Há 40 anos era fundada a maior e mais duradoura confederação sindical da história do Brasil, a Central Única dos Trabalhadores (CUT). Para refletir sobre aquela importante conjuntura política e sindical, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que participaram da fundação da CUT.

O quarto episódio é dedicado a Nilza Port, antiga dirigente sindical dos trabalhadores da indústria química de São Paulo. Nilza fala de sua trajetória desde a colônia alemã no interior no Rio Grande do Sul onde nasceu, passando pela migração para São Paulo e o trabalho em multinacionais alemãs até seu envolvimento na oposição sindical e sua atuação como sindicalista. Conta ainda sobre o papel das mulheres no “novo sindicalismo” e relembra o espírito de justiça, solidariedade e alegria que animava os trabalhadores e trabalhadoras que criaram a CUT.

Há 40 anos nascia a maior e mais duradoura central sindical da história do Brasil. A fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 28 de agosto de 1983, na cidade de São Bernardo era fruto direto de uma efervescente conjuntura iniciada com uma onda de greves e mobilizações sociais que tomou conta do país a partir de 1978. A luta dos trabalhadores impactou os rumos da redemocratização e colocou o movimento sindical no centro da arena política.
Para refletir sobre aquela conjuntura, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que estavam em São Bernardo naquele 28 de agosto de 1983. No segundo episódio, Ranulfo Peloso, liderança do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santarém no Pará, fala da sua trajetória como ativista católico durante a ditadura, da ação das oposições sindicais naquele período e do papel fundamental dos trabalhadores rurais no processo de fundação da CUT.

Projeto e execução: Deivison Amaral, Inghrid Masullo, Larissa Farias, Paulo Fontes e Yasmin Getirana | Assessoria: João Marcelo Pereira dos Santos | Roteiro: Deivison Amaral e Inghrid Masullo | Edição: Deivison Amaral | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista: Deivison Amaral e Inghrid Masullo

Há 40 anos nascia a maior e mais duradoura central sindical da história do Brasil. A fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 28 de agosto de 1983, na cidade de São Bernardo era fruto direto de uma efervescente conjuntura iniciada com uma onda de greves e mobilizações sociais que tomou conta do país a partir de 1978. A luta dos trabalhadores impactou os rumos da redemocratização e colocou o movimento sindical no centro da arena política.
Para refletir sobre aquela conjuntura, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que estavam em São Bernardo naquele 28 de agosto de 1983. No segundo episódio, Zica Oliveira, trabalhadora doméstica do Rio de Janeiro, fala das lutas das domésticas para terem seus direitos reconhecidos como trabalhadoras e da participação da categoria no processo de fundação da CUT.

Projeto e execução: Deivison Amaral, Inghrid Masullo, Larissa Farias, Paulo Fontes e Yasmin Getirana | Assessoria: João Marcelo Pereira dos Santos | Roteiro: Yasmin Getirana | Edição: Deivison Amaral | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista: Deivison Amaral e Yasmin Getirana

3

Há 40 anos nascia a maior e mais duradoura central sindical da história do Brasil. A fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 28 de agosto de 1983, na cidade de São Bernardo era fruto direto de uma efervescente conjuntura iniciada com uma onda de greves e mobilizações sociais que tomou conta do país a partir de 1978. A luta dos trabalhadores impactou os rumos da redemocratização e colocou o movimento sindical no centro da arena política.

Para refletir sobre aquela conjuntura tão especial, o “Vale Mais”, podcast do LEHMT/UFRJ, lança “O nascimento da CUT”, uma série de cinco programas em que contamos as histórias de cinco sindicalistas que estavam em São Bernardo naquele 28 de agosto de 1983. No nosso primeiro episódio, Almerico Lima, petroquímico da Bahia, relata sobre sua história de militância sindical durante a redemocratização do país e conta suas experiências no Congresso de Fundação da CUT.

Projeto e execução: Deivison Amaral, Inghrid Mazullo, Larissa Farias, Paulo Fontes e Yasmin Getirana

Assessoria: João Marcelo | Roteiro: Deivison Amaral | Edição: Deivison Amaral | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista: Deivison Amaral e Larissa Farias

Há 40 anos nascia a maior e mais duradoura central sindical da história do Brasil. A fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 28 de agosto de 1983, na cidade de São Bernardo era fruto direto de uma efervescente conjuntura iniciada com uma onda de greves e mobilizações sociais […]

Em outubro de 2022, foi lançado o livro Trabalhadoras e Trabalhadores: capítulos de história social, organizado por Fabiane Popinigis e Deivison Amaral. Fabiane Popinigis é professora e atualmente coordenadora do Programa de Pós-graduação em História da UFRRJ e pesquisadora associada do LEHMT-UFRJ. Deivison Amaral é professor da PUC-Rio e pesquisador […]

Foi publicado o capítulo O catolicismo e os mundos do trabalho: projetos e práticas no associativismo e circulismo católico, escrito por Deivison Amaral e Larissa Rosa Corrêa, ambos professores da PUC-Rio e, respectivamente, pesquisador e pesquisadora associada do LEHMT-UFRJ. O texto parte da compreensão de que é necessário considerar a […]

Luciana Pucu WollmannProfessora na rede pública de ensino de Niterói e do Rio de Janeiro e Doutora em História pela FGV Lucas CorrêaDoutorando em Ciência da Informação pela Universidade Federal Fluminense Eles eram poucos.E nem puderam cantar muito alto a Internacional.Naquela casa de Niterói em 1922.Mas cantaram e fundaram o […]

1

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

O episódio #17 do Vale Mais é sobre “Novo trabalhismo”.

Neste nono episódio da segunda temporada do Vale Mais, conversamos com Heliene Nagasava. Heliene é servidora do Arquivo Nacional, pesquisadora do LEHMT/UFRJ e doutora em História, Política e Bens Culturais (2021), pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), sob a orientação de Paulo Fontes. Ela defendeu recentemente a tese “O Ministério do Trabalho e as políticas públicas na ditadura militar: sindicatos, assistencialismo e repressão (1964-1974)” e, seguindo a série de conversas do Vale Mais com jovens doutores/as no campo da História Social do Trabalho, abordou sobre as implicações do Golpe de 1964 no Ministério do Trabalho, bem com as políticas públicas desenvolvidas pela pasta durante os primeiros dez anos da ditadura militar. Heliene Nagasava discute sobre a noção de “novo trabalhismo”, originalmente concebida pelo então Ministro do Planejamento Roberto Campos, revelando tensões interministeriais no governo, combinadas à repressão aos trabalhadores, aos processos de intervenção sindical e ao reforço de projetos assistencialistas, que buscavam esvaziar debates políticos nos sindicatos.

Produção: Felipe Ribeiro, Flávia Veras, João Christovão e Larissa Farias
Roteiro: Felipe Ribeiro, Flávia Veras, João Christovão e Larissa Farias 
Apresentação: Larissa Farias 

Professor Maciel Henrique Silva (IFPE) e Professor Márcio Romerito da Silva Arcoverde (CODAI-UFRPE) Apresentação da atividade Segmento: 2º e 3º ano do Ensino Médio Unidade temática: Espaços de trabalhadores(as) na sociedade brasileira Objetivos gerais: – Compreender a dinâmica, os espaços dos(as) trabalhadores(as) escravizados(as) e do pós-abolição no Brasil;– Discutir os lugares […]

1

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

O episódio #16 do Vale Mais é sobre Futebol Operário.

Este é oitavo episódio da segunda temporada do podcast Vale Mais. Nesta temporada realizamos uma série de conversas com jovens doutores/as no campo da História Social do Trabalho. Eles/as explicam seus temas de pesquisa e processos de elaboração de suas teses. Neste episódio, conversamos com Raphael Rajão Ribeiro, doutor em História, Política e Bens Culturais (2021), pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Raphael defendeu a tese “A Várzea e a Metrópole: Futebol amador, transformação urbana e política local em Belo Horizonte (1947-1989)”, sob orientação de Bernardo Borges Buarque de Hollanda. Em nossa conversa, Raphael aborda a trajetória do futebol amador investigando a prática social e cultural atrelada aos grupos populares. Enfatiza a intersecção entre o futebol e a cidade pois articula-se com as dinâmicas locais, permitindo o debate sobre as configurações urbanas e relações políticas no cotidiano dos trabalhadores.

Dica da entrevistado: Ludopédio (https://ludopedio.org.br/)
Várzea: a bola rolada na beira do coração (documentário)

Produção: Felipe Ribeiro, Flávia Veras, João Christovão e Larissa Farias
Roteiro: Felipe Ribeiro, Flávia Veras, João Christovão e Larissa Farias 
Apresentação: Larissa Farias 

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

O episódio #15 do Vale Mais é sobre Biografia e Militância Feminina.

Este é sétimo episódio da segunda temporada do podcast Vale Mais. Nesta temporada realizamos uma série de conversas com jovens doutores/as no campo da História Social do Trabalho. Eles/as explicam seus temas de pesquisa e processos de elaboração de suas teses. Neste episódio, conversamos com Roger Camacho, doutor pelo Programa de Pós-Graduação em História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (IFCH-UFRGS). Roger defendeu a tese “Entre lágrimas, sorrisos e muita luta: a inserção das mulheres nos espaços políticos do Brasil por meio das trajetórias de três militantes de esquerda – Lélia Abramo (1911 –2004), Luíza Erundina de Sousa (1934 –) e Irma Passoni (1943 -)”, sob orientação de Benito Bisso Schmidt. Em nossa conversa, Roger enfatiza a importância de evitar generalizações ao estudar os sujeitos históricos. Com um amplo escopo de fontes nosso convidado enfrentou os temas da memória e da escrita de si em um desafio que envolve diversos campos de estudos como gênero, trabalho, religiosidade e história política.

Dica da entrevistado: Revolução em Dagenham (filme)

Produção: Felipe Ribeiro, Flávia Veras, João Christovão e Larissa Farias
Roteiro: Felipe Ribeiro, Flávia Veras, João Christovão e Larissa Farias 
Apresentação: Larissa Farias 

Professor Márcio Romerito da Silva Arcoverde (CODAI-UFRPE) Apresentação da atividade Segmento: 2º e 3º ano do Ensino Médio Unidade temática: Dinâmica histórico espacial dos trabalhadores migrantes na República. Objetivos gerais: – Estimular a discussão sobre memórias, identidades, migrações e patrimônios da classe trabalhadora brasileira;– Discutir acerca dos espaços de memórias e […]

Valéria Barbosa de MagalhãesProfessora da EACH/USP Marilda MenezesProfessora da UFABC Eu viajo quinta-feiraFeira de SantanaQuem quiser mandar recadoRemeter pacoteUma carta cativanteA rua numeradaO nome maiusculosoPra evitar enganoOu então que o destinoSe destrave longe.Meticuloso, meu prazerNão tem medida,Chegue aqui na quinta-feiraAntes da partida. (Correio da Estação do Brás. Tom Zé, 1978) […]

João Christovão (Professor das redes públicas municipal de Cabo Frio e do Rio de Janeiro e pesquisador do LEHMT) Apresentação da atividade Segmento: 3º ano do Ensino Médio Unidade temática: Período nacional-desenvolvimentista (1946-1964)/Ditadura civil-militar (1946-1988) Objetivos gerais: – Conhecer a localização das salinas fluminenses responsáveis pela produção de cerca de 1/3 […]

Paulo FontesProfessor do Instituto de História da UFRJ e Coordenador do LEHMT/UFRJ  Desde os anos 1950, o balneário de Praia Grande, no litoral paulista, foi se consolidando como um dos principais destinos turísticos e de veraneio dos trabalhadores de São Paulo. Praia Grande tornou-se sinônimo de praia popular e, não […]

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

O episódio #14 do Vale Mais é sobre Trabalhadores do sal.

Este é o sexto episódio da segunda temporada de Vale Mais, o podcast do site do LEHMT-UFRJ. Nesta temporada, conversamos com recém doutores/as no campo da História Social do Trabalho sobre seus temas de pesquisa e processos de elaboração de suas teses. Neste episódio, entrevistamos João Henrique de Oliveira Christovão, doutor em História, Política e Bens Culturais pelo CPDOC/FGV, professor das redes públicas municipal de Cabo Frio e do Rio de Janeiro, além de ser pesquisador do LEHMT-UFRJ. Em dezembro de 2020, João defendeu a tese “Trabalhadores do sal: organização sindical e lutas sociais nas salinas cabo-frienses – 1940/1974”, sob orientação de Paulo Fontes e Ynaê Lopes dos Santos. A pesquisa analisou os trabalhadores e trabalhadoras das salinas em Cabo Frio, entre as décadas de 1940 e 1970, abordando os processos de constituição das identidades dos salineiros, com destaque para as articulações entre classe, raça e gênero. João enfatiza que os salineiros ocuparam um papel fundamental nas lutas por direitos políticos e trabalhistas, bem como na construção do espaço urbano cabofriense.

Dica da entrevistado: Para entender uma fotografia – John Berger (livro)

Produção: Heliene Nagasava e Larissa Farias 
Roteiro: Heliene Nagasava e Larissa Farias 
Apresentação: Larissa Farias 

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

O episódio #13 do Vale Mais é sobre Trabalhadores, repressão e transição democrática.

Este é o quinto episódio da segunda temporada de Vale Mais, o podcast do site do LEHMT-UFRJ. Nesta temporada, conversamos com recém doutores/as no campo da História Social do Trabalho sobre seus temas de pesquisa e processos de elaboração de suas teses. Neste episódio,  entrevistamos Richard de Oliveira Martins, doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Em dezembro de 2020, Richard defendeu a tese “Lutas vigiadas: militância operária, retaliação patronal e repressão no Vale do Paraíba (1979-1994)”, sob orientação do professor Claudio Batalha. A pesquisa analisou os trabalhadores da região do Vale do Rio Paraíba do Sul (Paulista e Fluminense), com ênfase sobre o operariado metalúrgico dos municípios de São José dos Campos/SP e Volta Redonda/RJ, abordando suas experiências de trabalho, organização sindical e luta política. Richard enfatiza as formas e as consequências da repressão com que se depararam estes trabalhadores, refletindo sobre o envolvimento de organizações sindicais nas recentes batalhas em torno da memória social da ditadura.

Dica da entrevistada: Michel Foucault

Produção: Heliene Nagasava e Larissa Farias 
Roteiro: Heliene Nagasava e Larissa Farias 
Apresentação: Larissa Farias 

Raphael Rajão Ribeiro (CPDOC-FGV e Museu Histórico Abílio Barreto) Apresentação da atividade Segmento: 2º e 3º anos do Ensino Médio Unidade temática: Brasil Republicano e cultura operária Objetivos gerais: – Identificar, a partir do caso do futebol, a relação entre construção da cultura operária e as práticas de lazer;– Reconhecer o […]

Cristina FerreiraProfessora do Departamento de História da Universidade Regional de Blumenau Blumenau tornou-se nacionalmente conhecida como o principal polo têxtil em Santa Catarina. Seu processo de industrialização, um dos mais antigos do país, possui vínculos estreitos com o fluxo imigratório no Vale do Itajaí, iniciado na década de 1840. As […]

Nos últimos anos, nós assistimos a um crescimento das pesquisas que enfatizam as trabalhadoras e trabalhadores domésticos no Brasil. Como você avalia esse crescimento? Primeiramente, agradeço ao convite do LEHMT-UFRJ, em especial aos coordenadores(as) da seção “Chão de Escola”, pelo convite para esta entrevista.Respondendo à pergunta, avalio que esse crescimento […]

Vinícius Andrade BritoMestrando em História Social pela UNIRIO “A amoreira vegeta neste município maravilhosamente e torna aproveitável o terreno que a deu e que não dá vantajosamente o café”. Assim os vereadores da câmara de Itaguaí descreviam as etapas da produção da seda desenvolvida na região, em ofício ao presidente […]

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

O episódio #12 do Vale Mais é sobre Trabalhadores e Favela.

Este é o quarto episódio da segunda temporada de Vale Mais, o podcast do site do LEHMT-UFRJ. Nesta temporada, conversamos com recém doutores/as no campo da História Social do Trabalho sobre seus temas de pesquisa e processos de elaboração de suas teses. Neste episódio, entrevistamos Mariana Barbosa Carvalho da Costa, doutora em História Social da Cultura pela PUC-Rio e pesquisadora do LEHMT-UFRJ. Em outubro de 2019, Mariana defendeu a tese “A Rocinha em construção: a história social de uma favela na primeira metade do século XX”, sob orientação de Leonardo Pereira. A pesquisa analisou o processo histórico de formação da Rocinha, uma das favelas de maior visibilidade do Rio de Janeiro, abordando as experiências dos moradores daquela região com base nas discussões em torno do diálogo entre a história urbana e a história social do trabalho. Mariana enfatiza como esses moradores são sujeitos ativos do processo de formação da Rocinha, que se inicia nos primeiros anos do século XX e se encerra no final da década de 1950, quando é consolidada a concepção de favela carioca para a localidade em questão.

Dica da entrevistada: Museu Sankofa Rocinha – Memória e História

Produção: Heliene Nagasava e Larissa Farias
Roteiro: Heliene Nagasava e Larissa Farias
Apresentação: Larissa Farias

Fernanda Nascimento Crespo, professora de História (SME-RJ e Celso Lisboa), mestre em Ensino de História (ProfHist-UERJ) e doutoranda em Educação (PPGE-UFRJ) Apresentação da atividade Segmento: 9º Ano Unidade temática: O nascimento da República no Brasil e os processos históricos até a metade do século XX Objetivos gerais: – Refletir sobre as […]

1

Alexandre FortesProfessor do Instituto Multidisciplinar da UFRRJ Paulo FontesProfessor do Instituto de História da UFRJ e coordenador do LEHMT-UFRJ Marco Aurélio Garcia faz, e continuará a fazer, muita falta. Falta do refinado intelectual engajado e humanista. Falta do militante político e dirigente partidário profundamente comprometido com o combate às desigualdades […]

1

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

O episódio #11 do Vale Mais é sobre Trabalhadores livres e escravizados.

Este é o terceiro episódio da segunda temporada de Vale Mais, o podcast do site do LEHMT-UFRJ. Nesta temporada, conversamos com recém doutores/as no campo da História Social do Trabalho sobre seus temas de pesquisa e processos de elaboração de suas teses. Neste episódio, entrevistamos Rute Andrade Castro, professora da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e de Educação de Jovens e Adultos (EJA) em Salvador. Em agosto de 2020, Rute defendeu a tese “Mundos do trabalho no seu fazer-se. Britânicos, livres, libertos e escravizados (Brasil, 1880-1905)”, sob orientação de Antonio Luigi Negro, no Programa de Pós-Graduação em História Social da UFBA. Por meio de fontes produzidas por britânicos em território brasileiro, a pesquisa analisou as discussões em torno do trabalho escravizado e “livre” entre os fins do século XIX e início do XX, abordando relações de trabalho pouco conhecidas e abordadas pela historiografia. Rute enfatiza a diversidade de sujeitos que compõem os mundos do trabalho, em particular nas regiões rurais do Nordeste brasileiro, e mostra a relevância de pesquisas que mobilizam perspectivas transnacionais na análise da história social do trabalho.

Produção: Heliene Nagasava e Larissa Farias
Roteiro: Heliene Nagasava e Larissa Farias
Apresentação: Larissa Farias

Professor Adauto Santos da Rocha (PPHR-UFRRJ; GPHIAL-UNEAL) Apresentação da atividade Segmento: 9º Ano do Ensino Fundamental; 1º, 2° e 3° Ano do Ensino Médio Objetivos gerais: – Compreender a exploração da mão de obra indígena no mundo do trabalho;– Refletir sobre o esbulho territorial e avanço das plantações de cana-de-açúcar no […]

1

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.

O episódio #10 do Vale Mais é sobre Mundos do trabalho e Relações Raciais.

Este episódio do Vale Mais é o segundo episódio da segunda temporada do podcast, que propõe conversar com doutores da área de História Social do Trabalho sobre os seus respectivos temas de pesquisa e processo de elaboração. Neste episódio conversamos com Leonardo ngelo, doutor em História Social pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e pesquisador do LEHMT, sobre sua tese “Volta Redonda em Preto e Branco: Trabalho, Desenvolvimentismo e Relações Raciais (1946-1988)”. Uma pesquisa que visa olhar para a relação entre raça e classe dos trabalhadores na Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), entre as décadas de 1940 e 1980. Além de abordar os discursos políticos da época, como o “mito da democracia racial”, que influenciam nas transformações econômicas e na estrutura social desses trabalhadores negros. Dessa forma, teremos uma conversa que discutirá a relevância de estudos que busquem a interdisciplinaridade com as relações raciais em suas pesquisas, que contribuem para relevância e emergência dos movimentos negros dentro dos mundos do trabalho.

Produção: Heliene Nagasava e Larissa Farias
Roteiro: Heliene Nagasava e Larissa Farias
Apresentação: Larissa Farias

Dicas do entrevistado

Geledés – Instituto da Mulher Negra (https://www.geledes.org.br/)
Cultne – Acervo Digital De Cultura Negra (https://www.cultne.com.br/)
M8 (Filme)
Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: Identidade nacional versus identidade negra, de Kabengele Munanga (Livro)
Pedagogingar (https://open.spotify.com/show/5H2j9lhdxkpGDekRr8jjMZ?si=55q-RCa5Q6SlMZSD_wPvlg)

Autora: Renata Figueiredo Moraes1 Apresentação da atividade Segmento: Ensino Médio (3º ano) Objetivos gerais: – Caracterizar as comemorações pelo 13 de maio a partir dos trabalhadores no pós-abolição– Contextualizar a criação da data do 1º de maio e os usos feito pelos trabalhadores– Identificar formas de luta inseridas nas celebrações pelas […]

Vale Mais é o podcast do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho da UFRJ, que tem como objetivo discutir história, trabalho e sociedade, refletindo sobre temas contemporâneos a partir da história social do trabalho.
O episódio #Especial do Vale Mais é uma entrevista com Elvira Boni, realizada por Ângela de Castro Gomes e Eduardo Stotz.
Para celebrar o Primeiro de Maio, o Vale Mais reproduziu um trecho da entrevista concedida por Dona Elvira Boni em 1983 para Ângela de Castro Gomes e Eduardo Stotz. O Primeiro de Maio de Dona Elvira é repleto de lutas e cantorias e narra as manifestações desse dia, em 1919, no Rio de Janeiro, realizado numa efervescente conjuntura política e de ascensão das lutas operárias. Elvira Boni narrou o clima festivo e de entusiasmo daquele evento, quando milhares de trabalhadoras e trabalhadores tomaram as ruas do Rio cantando suas palavras de ordem e seus hinos.
Viva o Primeiro de Maio!
Participação: Ângela de Castro Gomes

Produção: Deivison Amaral, Heliene Nagasava e Larissa Farias
Roteiro: Ângela de Castro Gomes, Deivison Amaral, Larissa Farias e Paulo Fontes.
Apresentação: Larissa Farias

Referência da entrevista: Entrevista Elvira Boni Lacerda. 5º Entrevista: 02.10.1983. Fita 7-A. Acervo CPDOC/FGV.

Livro: Velhos Militantes: Depoimentos. Ângela de Castro Gomes (coordenadora). Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1988.

A Petrobrás apoiou a Ditadura (1964-1985). A empresa agiu em cumplicidade com o regime autoritário e atuou como braço repressor sobre os trabalhadores. Já no primeiro dia da Ditadura, em 1º de abril de 1964, houve a detenção de um grupo expressivo de trabalhadores da empresa. Muitas prisões aconteceram nos locais de trabalho, que tiveram seus alojamentos transformados em centros de detenção e tortura.
Esse caso é tema do primeiro episódio da série Trabalhadores atingidos: a colaboração empresarial com a ditadura, do Vale Mais, podcast do LEHMT/UFRJ, realizada em parceria com o Centro de Memória do Sul Fluminense da UFF e com a rede de pesquisadores envolvidos no projeto “Responsabilidade de empresas por violações de direitos durante a Ditadura” (projeto do CAAF/ UNIFESP com o MPF). São 4 episódios que exploram as colaborações da Petrobrás, CSN, Aracruz e Josapar, com a Ditadura.
O episódio está disponível no link abaixo e nas principais plataformas de podcast. Caso queira conhecer mais sobre as empresas que foram cúmplices da Ditadura, acesso o Informe Público da pesquisa, que além dos quatro casos acima, apresenta dados sobre a colaboração de outras empresas, a saber: Cobrasma, Docas, Fiat, Folha de São Paulo, Itaipu e Paranapanema. 

Informe público: https://drive.google.com/file/d/1aPxxQ82hBhCwc4B8_3PruYNFgW-4kQVb/view?usp=sharing

Ficha técnica:

Projeto e execução: Alejandra Estevez, Bruno Cecílio, Deivison Amaral, Larissa Farias, Thompson Climaco | Roteiro: Deivison Amaral | Revisão de Roteiro: Alejandra Esteves | Edição: Deivison Amaral e Thompson Climaco | Apresentação: Larissa Farias | Entrevista com Luci Praun: Alejandra Esteves, Deivison Amaral e Larissa Farias | Entrevista com trabalhadores atingidos: Luci Praun.

Equipe responsável pela pesquisa sobre a Petrobras:

Luci Praun (Ufac, pesquisadora responsável) | Alex de Souza Ivo (Ifba) | Carlos E. S. de Freitas (Ufba – Uneb) | Claudia Lima da Costa (Jornalista) | Júlio Cesar P. de Carvalho (UFF) | Márcia Costa Misi (UEFS) | Ana Letícia de Fiori (Ufac) | Marcos de Almeida Matos (Ufac) | Vitor Góis (Pesquisador Unir)

Maria Luiza Coelho (estudante de licenciatura em História pela UFF, residente pedagógica do PIRP/CAPES desde outubro de 2022) Matheus Lira da Silva (graduando de licenciatura em História pela UFF, residente pedagógico do PIRP/CAPES desde maio de 2023). Luciana Pucu Wollmann (professora de História da rede municipal de Niterói e da […]

Yasmin GetiranaDoutoranda em História Internacional na London School of Economics e pesquisadora do LEHMT/UFRJ Uma das maiores categorias profissionais femininas no Brasil, trabalhadoras domésticas frequentemente desempenham seu serviço sozinhas. Não conseguindo sociabilizar com outras colegas nas casas onde trabalham, elas encontraram em espaços como praças públicas um local não apenas […]

Neste episódio, que abre a temporada 2024 de Livros de Classe, Valter Pomar (UFABC), no centenário da morte de Vladimir Ilich Ulianov, o Lenin, apresenta “Que fazer?”. Publicado originalmente em 1902, o livro tornou-se um clássico do pensamento marxista e uma referência para diversos movimentos revolucionários e setores do movimento […]

Nesses 60 anos do golpe de 1964, a oitava edição da série “Vale a Dica” do portal do LEHMT/UFRJ, indica alguns eventos acadêmicos e uma exposição que pretendem pôr no centro do debate público novas abordagens acerca do golpe. Em particular, destacamos como a classe trabalhadora, suas  organizações e  os movimentos sociais em geral têm sido analisados nas pesquisas recentes sobre o golpe e o regime militar.

O “Seminário 60 anos do golpe: História, Memória e novas abordagens da ditadura militar no Brasil”, “Seminário Internacional 1964+60”, “Seminário 1964 e a ditadura militar no quadro transnacional: novas perspectivas historiográficas” e a exposição  “Rio 64 – a capital do golpe” , são as dicas presentes no episódio a fim de rememorar e refletir sobre os acontecimentos que levaram ao golpe de 1º de abril .

– Seminário 60 anos do golpe: História, Memória e novas abordagens da ditadura militar no Brasil (https://lehmt.org/wp-content/uploads/2024/03/CADERNO-DE-PROGRAMACAO-2.pdf)

– Seminário Internacional 1964+60 (https://lehmt.org/wp-content/uploads/2024/03/Cartaz-1964-60_20240229_145033_0000.pdf)

– Seminário 1964 e a ditadura militar no quadro transnacional: novas perspectivas historiográficas (https://doity.com.br/1964-e-a-ditadura-militar-no-quadro-transnacional)

– Rio 64 – a capital do golpe (https://riomemorias.com.br/)

Com certeza não conseguimos incluir todos os eventos de reflexão sobre os 60 anos do golpe de 1964, contudo, estamos aqui para construir esse campo de divulgação juntos. Então, caso você saiba de algum evento acerca do golpe e a classe trabalhadora, nos envie em nossas redes sociais para que possamos cada vez mais preencher o debate público com as disputas e resistências das trabalhadoras e trabalhadores no cenário político.

O episódio é apresentado por Larissa Farias, mestranda do PPGHIS/UFRJ e pesquisadora do LEHMT.

Projeto e execução: Alexandra Veras, Isabelle Pires, Larissa Farias, Victória Cunha e Yasmin Getirana

Edição: Brenda Dias e Eduarda Olimpio

Na casa e na causa: a organização sindical das trabalhadoras domésticas (Rio de Janeiro, 1961-1973), livro de Yasmin Getirana, acaba de ser lançado pela editora Telha. Yasmin é doutoranda em História Internacional pela London School of Economics (LSE) e pesquisadora do LEHMT/UFRJ. Fruto da dissertação de mestrado defendida no Programa […]

Beatriz Loureiro Ferreira (Licenciada em História e mestranda em História Social pelo PPGH-UFF) Luciana Pucu Wollmann (professora de História da rede municipal de Niterói e da rede estadual do Rio de Janeiro. Doutora em História pela FGV e integrante do Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho (LEHMT/ […]